Nossa Visão de GC

Governança para Startups e Scale-ups

O aumento constante de investimentos em startups latino-americanas, com destaque para o Brasil, traz uma mensagem clara de que o ecossistema brasileiro está amadurecendo e se consolidando, tendo, prioritariamente, a própria América Latina como mercado-foco para expansão.

Este cenário parece apontar para a necessidade de um novo olhar, mais atento, dinâmico e sofisticado para a governança no ecossistema brasileiro de empreendedorismo. A governança pode e deve ser encarada como uma jornada gradativa em termos de conscientização e implantação, que precisa respeitar os vários estágios de desenvolvimento do negócio, permitindo uma evolução saudável e a criação de valor para empresas de alto crescimento.

Como a governança pode fortalecer o ecossistema de empreendedorismo¹?

Uma estrutura de governança, devidamente customizada e implementada de acordo com a fase de desenvolvimento do negócio, atua em várias dores do empreendedor, possibilitando:

• fortalecer o modelo de gestão;
• melhorar a prestação de contas;
• administrar e mediar conflitos entre sócios;
• potencializar o valuation;
• facilitar o acesso a funding (incluindo smart money), que se torna cada vez mais exigente e qualificado;
• aumentar a taxa de sobrevivência da startup, contribuindo para a sua longevidade.

 

 

¹ Agentes do ecossistema de empreendedorismo (empreendedores, gestores de venture capital, corporate venture capital e private equity, membros de redes de investimento-anjo, incubadoras e aceleradoras, órgãos públicos de fomento e centros de inovação privados e públicos).

 

Compartilhe esta página: